Olá amigos corredores, obrigado por sua visita! Se gostou do nosso blog, indique-o para seus amigos.

Hello, my friends! welcome to Mundo das corridas! If you like this space, please share it with your friends.

Dzień dobry, drogi czytelniku, witaj w blogu Mundo das corridas! Dziękujemy za wizytę. Jeśli nasz blog ci sie spodobał, poleć go swoim znajomym.

!Hola! , amigos . Sea bienvenido y si le gustó mi blog, recoméndelo a sus amigos.

12 de agosto de 2010

IMPORTANTE ANTES DE INICIAR UMA CORRIDA

Acerte o ritmo

O organismo leva certo tempo para entrar em equilíbrio durante a corrida. Veja dicas de como acertar o passo logo de cara e não sofrer com aquela sensação de incômodo no começo do treino

É comum em competições e até mesmo durante os treinamentos surgir uma sensação de cansaço e desconforto logo nos primeiros dez minutos. Essa percepção faz parecer que o corpo não vai suportar mais alguns quilômetros pela frente. Porém, logo após mais alguns minutos, o quadro muda completamente, e o atleta entra novamente em sua zona de conforto.
Conhecido como estado de equilíbrio, ou taxa de confortabilidade, esse efeito tem explicações lógicas, como explica Júlio Coelho, diretor técnico da Equipe Júlio Coelho Assessoria Esportiva. “Isso ocorre, pois o corpo está com os seus sistemas preparados para estarem em um estado de repouso. Quando começasse a correr, o organismo passa para o estado ativo, aumentando em alta potência o sistema respiratório, sanguíneo e a temperatura corporal, causando assim um grande desconforto, já que o corpo também irá necessitar de substratos energéticos, que o organismo não irá disponibilizar com tanta rapidez”.
Contudo, no momento que o corpo se acostuma com os fatores requeridos para a prática esportiva, o organismo regula-se novamente. “Com o corpo regulado, tudo fica melhor, já que todo organismo está estabilizado e pronto para correr com todo o seu potencial”, completa o treinador.


Deixando o incômodo de lado

A melhor maneira de acabar com o incômodo logo no começo da corrida é realizando o aquecimento, melhor e mais importante exercício para corredores iniciantes e veteranos, que esquecem muitas vezes de realizá-los antes de começar a dar suas passadas.
“Para conseguir entrar no estado de equilíbrio antes de começar a correr, é preciso realizar um aquecimento suave, sem pressa nenhuma. Entretanto, quanto mais bem feito for esse aquecimento, melhor será a disposição na hora de correr”, diz Flávio Freire, diretor técnico da Assessoria Esportiva que contém o seu nome.

O aquecimento

Nesta etapa, a corrida deve acontecer de forma gradativa, sendo elevada aos poucos, até o corredor chegar ao seu pace normal. “O aquecimento é uma atividade muito séria, mas que poucos realizam dessa maneira, fazendo como se fosse uma brincadeira, algo que não é”, ressalta Coelho.
Contudo, esta preparação para a corrida não deve ser tão longa, sendo realizado apenas até o corpo entrar no estado de equilíbrio. “Mesmo dependendo de fatores externos e do nível do atleta, o aquecimento deve durar de cinco a 15 minutos, até o corpo alcançar o seu melhor estado”, finaliza Freire.

Aquecimento correto

Comece a correr bem, no seu ritmo, para ter um corrida mais agradável, diminuir os riscos de lesão e obter uma melhor performance

Muitos atletas não dão valor para isso, mas fazer um aquecimento correto antes de começar a correr é fundamental para preparar o corpo e a mente para a prática da atividade física, melhorar o desempenho e prevenir algumas lesões.

“A função do aquecimento é aumentar a temperatura corporal, o fluxo sanguíneo e facilitar a coordenação e o movimento dos músculos. Ele proporciona melhores condições para a musculatura e a deixa mais eficiente”, afirma Hugo Coimbra, treinador da 4any1.
O indicado é que o corredor faça um trote leve por cerca de 10 minutos para alcançar o aquecimento ideal, e depois parta para um ritmo mais intenso, mas este tempo pode variar conforme alguns fatores, como clima, nível do esforço e características individuais de cada um.

“O aquecimento também pode ser feito com alguns educativos de corrida, mas nada muito forte para que a pessoa fique exausta, apenas o suficiente para ela executar as atividades seguintes”, diz Coimbra. “Tem gente que gasta toda energia no aquecimento e depois não consegue correr. O aquecimento deve elevar a frequência cardíaca a um estado pré-prova, mas sem chegar ao estado da prova. Para isso, o corredor deve fazer um trote leve e alguns movimentos até sentir a sensação da musculatura solta, mas sem ficar ofegante”, explica o Professor Zeca, treinador da Z-Track, que alerta que, ao contrário do que muitos pensam, um simples alongamento não serve como aquecimento.

“U ma coisa não tem nada a ver com a outra. O alongamento não substitui o aquecimento. Atletas de ponta muitas vezes fazem um trabalho de soltura da musculatura e nem chegam a alongar antes de uma competição, pois isto pode atrapalhar na performance. Para os iniciantes, é válido fazer um alongamento depois do aquecimento, pois eles costumam ser muito travados e este trabalho ajuda a diminuir a tensão dos músculos”, diz o técnico.

No meio do bolo

Com o aumento do número de participantes em provas de ruas, é muito comum os atletas fazerem o aquecimento e depois terem que ficar alguns minutos parados antes da largada, por falta de espaço para se movimentarem. Isto pode ser prejudicial e fazer com que o corpo volte à temperatura normal.

Após se preparar fora da baia, o corredor pode fazer um trote parado ou alguns movimentos de soltar os braços e as pernas para se manter em movimento antes da largada”, aconselha Zeca, que alerta que o desaquecimento (ou volta à calma) é tão importante quanto o aquecimento.

“Depois da chegada, o atleta precisa fazer com que a frequência cardíaca diminua de forma continua. Ele não deve parar de uma vez, pois a desaceleração rápida pode fazer com não se sinta bem e tenha tonturas. O correto é diminuir o ritmo e depois caminhar um pouco até voltar à fase que estava antes de começar a correr”.

Veja algumas das funções do aquecimento

- Aumento da temperatura corporal e dos tecidos.

- Aumento do fluxo sangüíneo para os músculos ativos.

- Aumento da freqüência cardíaca.

- Aumento da velocidade da velocidade metabólica.

- Aumento da velocidade de impulsos nervosos.

- Diminuição da tensão muscular.

- Preparação psicológica para o exercício.

- Obtenção do estado ideal de excitação.

Um comentário:

Leo Binda disse...

Luiz

Show de bola esse artigo da O2. Eu não conhecia. Devia ser o "livro de cabeceira" de muita gente por aí!

Abraços e até a prova.

Leo Binda
www.correndonailha.blogspot.com